O encontro parte 3


– Você é uma garota muito especial, nunca deixe que as pessoas te digam o contrário.

– Ufaa, você me deixou assustada agora.

– Era essa a intenção- ele deu um sorriso, pegou minha mão e a beijou- tenha uma ótima noite.

– Pra você também – digamos apenas que o beijo em minha mão me deixou um pouco boba, só consegui responder isso.

– Quando vou te ver de novo Mary?

– Me liga e marcamos alguma coisa – passei o meu celular para ele e nos despedimos.

Naquela noite fui dormir nas nuvens, não sei bem o que estava sentindo, aparentemente ele não era nenhum principe encantado, mais tinha um jeito encantador, mais não podia negar o medo que eu tinha de que aquele jeito de bom moço fosse fingimento, só pra me fisgar. Quando já estava quase a pegar no sono, meu celular tocou, uma mensagem.

“ Princesas são pessoas especiais, possuem um sorriso diferente, uma mágica no olhar, e um jeito inocente que cativa as pessoas, achei que já não existissem, hoje descobri que ainda restou uma, você. Obrigado pelo prazer da compania, Boa noite.”

Como alguém como ele pode estar escondido por tanto tempo, eu era assustadora demais? Ou pior ele era estupido demais? Coração estava disparado de novo, seria possivel eu estar apaixonada por um estranho?

No domingo de manhã acordei com a campainha tocando, por sorte ninguem da republica acordou, quando abri a porta um surpresa:

– Entrega para a senhorita Mariana – disse um homem, com uma linda cesta de café da manhã nas mãos.

– Sou eu – agradeci e peguei a cesta

Eu mal podia acreditar, era simplesmente linda, tinha tudo que eu havia mensionado que gostava no dia anterior, e um belo urso de pelucia acompanhando, junto ao laço de fita vermelha tinha um cartão com a seguintes palavras.

“ Para uma linda princesa, a única que já conheci”

Poucas palavras, o suficiente para mim, fui para o meu quarto , poucos minutos depois recebi uma mensagem no celular:

“ Gostou da surpresa? Te pego em trinta minutos”

Mais do que depressa fui me arrumar, não sabia que roupa vestir, pois não sabia onde iriamos, estava anciosa, optei por um vestido florido e jaqueta que eu amava, nos pés sapatilhas. Trinta minutos depois lá estava ele me esperando.

– Bom dia!

– Bom dia, obrigada pelo presente, achei incrível.

– Que bom que gostou, é melhor que tenha se alimentado bem hoje o dia vai ser corrido, vamos entre no carro.

Entrei no carro, pela primeira não me senti desconfortável no banco da frente, era como se aquele lugar estivesse guardado para mim o tempo todo.

– Pode escolher a rádio ou cd que quer escutar.

– Podemos ficar em silencio?

– Não gosta de música?

– Gosto, mais hoje quero conversar com você, o som vai atrapalhar- ele olhou para mim e deu um sorriso de satisfação por ter escutado aquelas palavras – Como dormiu?

– Muito bem, estava um pouco cansado então peguei no sono logo e vc?

– Bem também – nunca iria admitir que mal pude dormir – onde vamos?

– Pensei em te levar a um lugar muito importante para mim, se não ouver problema

– Claro que não, mais onde seria?

– A casa de meus avós, eles moram em uma fazenda linda, gostaria muito que conhecesse.

– Não acha muito cedo pra me apresentar a sua família?

– Não. Gosto de você, e além do mais somos apenas bons amigos certo?

– Certo – disse isso, mais por dentro eu sabia que já gostava dele de um modo diferente.

Passamos a viagem conversando, gastamos uns quarenta minutos até chegar na casa dos avós dele, de fato era uma fazenda linda, a entrada me encantou, era repleta de árvores, altas e com folhas muito verdes, meus olhos brilhavam, Lian olhou pra mim e deu um sorriso.

– Liam é lindo – abri um largo sorriso para ele.

– É, passei muito tempo aqui.

Ele parou o carro na entrada a casa, era grande, mais não luxuosa, diria que era aconchegante, um jardim lindo ficava bem na frente da porta, rosas vermelhas e brancas exalavam um perfume inconfundível, Liam deu a volta no carro e abriu a porta para mim.

– Madame- falou com tom de brincadeira

– Lian – Puxei-o pelo braço – não sei se vou me sentir a vontade, com que frenquencia você tras amigas aqui?

– Nunca trouxe, você é a primeira – ele pegou minha mão- antes de entrarmos, vem comigo.

– Pra onde?

– Confia em mim – ele me conduziu até uma espécie de casa que ficava ao lado da casa principal, não tinha teto, eram apenas as paredes, quando estavamos para entrar ele tambou meu olhos com as mãos.

– Liam o que é isso?

– Calma, é uma surpresa, espera só mais um minutos – ouvi ele abrir a porta. – Pronto pode abrir os olhos.

Anúncios
Esta publicação foi escrita por jessyguson e publicada em 24 de maio de 2011 às 20:43. Está arquivada em Textos. Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: